A Redução Localizada de Gordura é Real (parte 1)

Sendo considerada como possível há vários anos atras e praticado por milhares de pessoas a redução localizada de gordura corporal ganhou o estatuto de mito com a cientificação recente da cultura física, sendo vista agora como algo não possível, mas é…
11.01.2018



A redução do ponto de vista não cirúrgico é um mito; a fantasia de uma dona de casa gorda; A forragem de comerciais que vendem aparelhos de treino de abdominais ridículos às 3 da manhã.

Arnold também estava errado. Não podemos "reduzir a gordura da barriga" fazendo inúmeras séries de abdominais! É absurdo! Excepto talvez não seja, diversas pessoas o fazem de uma forma validada cientificamente que passaremos a explicar.

A Gordura corporal é gelada…
Alcance e toque na parte mais gorda do seu corpo. Se for do sexo masculino, essa é provavelmente a sua barriga e as pregas de gordura que temos de lado na cintura. Agora toque uma parte mais magra do corpo como por exemplo o peito.

O que sente? A área gorda é mais fria ao toque, não é? Pode até ser mesmo fria. Sempre que nos aconchegamos com a esposa ou namorada e notamos que a parte traseira e as coxas são visivelmente mais frias do que o resto do corpo? E com certeza, é aí que a maioria das fêmeas preferencialmente armazena a sua gordura corporal.

Coincidência? Não, não é. A ciência diz-nos que o fluxo sanguíneo é crucial para a extracção de gordura e que o fluxo sanguíneo deficiente para certas áreas do corpo - oblíquos e abdominais inferiores por exemplo - equivale a uma perda de gordura mais fraca dessas áreas, dado que existem evidências de que o fluxo sanguíneo do tecido adiposo não aumenta suficientemente para permitir a entrega de todos os ácidos graxos liberados para a circulação sistémica, logo a % de gordura queimada será inferior.

Mas podemos manipular isso? Claro, podemos fazer com que nosso corpo queime calorias, mas podemos dizer onde queremos que provenham essas calorias? Poderemos realmente reduzir a gordura de um local específico? Podemos apostar a nossa gordura geladinha que sim…

A redução de gordura localizada sempre foi considerada um mito porque as pessoas queimam a gordura sistemicamente, significando no "corpo inteiro". Isso é verdade até certo ponto, tanto para o exercício de resistência a cardio quanto para todo o corpo. Nós temos adrenalina circulante e fornos mitocondriais em todos os músculos em todo o corpo. Então, a redução localizada é impossível, certo?

Bem, fico feliz que ninguém tenha dito a Arnold, Frank Zane, Franco Columbu e Corey Everson esse detalhe. Todos esses culturistas lendários acreditavam que podiam reduzir a gordura localizadamente, e eles fizeram centenas de abdominais para alcançar esse objectivo. Franco Columbu fazia até 1000 abdominais por dia! Com certeza, ele estava definido, com abdominais lisos e sem gordura.

Seria apenas uma queima de calorias extra, ou esses culturistas realmente estavam a acertar em algo? O equilíbrio de calorias (e, portanto, o exercício do corpo inteiro) é importante, é claro, mas novas pesquisas revelam que funciona o que o pessoal da velha escola costumava fazer. A queima de calorias é parte da equação, mas as calorias vêm de fontes diferentes.

Vamos preferir que as calorias que queimamos numa sessão de cardio provenham da área gorda em torno do umbigo ou do glicogénio e triglicerídeos presentes nos músculos? (Nota: A queima de triglicerídeos intramuscular também é boa, pois estas gorduras, em última instância, são reabastecidas por gorduras provenientes de outros lugares do corpo - é apenas menos directo do que a queima de gordura directa das zonas mais gordas como a barriga e pregas laterais.)

Ao fim ao cabo somos culturistas e preocupamo-nos com a composição corporal e a forma. A pessoa média apenas quer perder peso. Elas provavelmente não se importam de onde as calorias vêm e ficam felizes se perderem, seja de onde for, mas nós queremos que todas elas provenham da nossa gordura e mais lado algum para que no final fiquemos definidos e musculados.

Na segunda parte deste artigo iremos providenciar o como fazer o que propomos.

Escrito por:

José Quinta

José Quinta


O que melhorarias neste artigo?




O conteúdo podia ser...





Cancelar

GOSTAS DESTE ARTIGO?